.

Médica com metal implantado, foi barrada em banco e agredida por PM.


 Na semana passada, a médica Cláudia Vieira Moss tentou entrar em uma agência bancária do Banco do Brasil, na Vila Olímpia, em São Paulo, onde tem conta, e foi impedida por não passar na porta giratória. Ela possui uma placa de metal implantada no braço, o que causava o bloqueio da porta, mas, mesmo explicando a situação aos funcionário, não pode passar. Cláudia decidiu, então, chamar a polícia, para ajudar a solucionar a situação, mas o caso acabou ficando pior.

Em um vídeo publicado na internet, é possível ver um policial militar pedindo que Cláudia saísse da porta giratória para falar com ele sobre o ocorrido. A cliente se recusa a sair, afirmando que tem testemunhas e que é a vítima, ao que o PM responde: "Não, a senhora não é vítima de nada".

"Vem falar comigo aqui fora", repete ele em voz alta. Quando a cliente pergunta se será removida à força, o policial, que se identifica como soldado Aquino, diz que irá contar até dez para "arrancar" ela de dentro da agência. Nesse momento, várias pessoas que testemunham o acontecido se manifestam, contrários à reação do policial.
A partir desse momento, o PM se mostra bastante alterado e puxa a mulher pela roupa e pelo braço, jogando-a no chão com violência. Um outro policial aparece no vídeo na sequência, tentando controlar o soldado Aquino, mas sem sucesso. O vídeo termina mostrando a indignação de várias pessoas que presenciaram a cena e Cláudia vai embora. Segundo informações da assessoria da 3ª Cia 23º BPM/M, Itaim Bibi, o soldado foi exonerado do cargo e afastado da corporação.
8 comentários via Blogger
comentários via Facebook

8 comentários:

  1. Infelizmente é assim. Não digo quem têm razão. São humanos e estão aptos ao erro. Tanto a desobediência da mulher quanto a ignorância do segurança. Mas vale aquele ditado: QUANDO UM NÃO QUER, DOIS NÃO BRIGAM.

    ResponderExcluir
  2. Porra nenhuma... Ela pediu isso... O que custava ela ter um mínimo de educação e ter saído para que o policial desse razão à ela... mas ela preferiu querer foder a vida do policial que ela mesmo chamou...

    ResponderExcluir
  3. Porra nenhuma... Ela pediu isso... O que custava ela ter um mínimo de educação e ter saído para que o policial desse razão à ela... mas ela preferiu querer foder a vida do policial que ela mesmo chamou...

    ResponderExcluir
  4. isso so tenho um nome DINDINDIN DIN

    ResponderExcluir
  5. Queria que isso tivesse acontecido comigo ai quanta grana ganharia

    ResponderExcluir
  6. esse policial merece prisao perpertua. aqui em brasilia a maioria dos policiais tem mais respeito pelos outros. esse policial ia ser preso e julgado com a pena maxima. e nunca ia trabalha na policia novamente ia ter que trabalha na rua passando fome com sua familia. por nao honra o uniforme que usa. a diferença de um policial de verdade e que a policia protege e servi a populaçao e outros com covardia agredindo mulher serio mesmo esse cara nao e policial nunca conheço muitos que eu tiro o chapeu com a competencia e a moral que eles tem mais esse ai é imperdoavel

    ResponderExcluir
  7. DEPOIS QUE VOLTA A ESCRAVIDAO ,NAO SABEM PORQUE!

    ResponderExcluir
  8. DEPOIS QUE VOLTA A ESCRAVIDAO NAO SABE PORQUE!!

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial